Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rui Ferreira Autor

"A imaginação é o solo fértil onde as sementes do impossível brotam." RF

Rui Ferreira Autor

"A imaginação é o solo fértil onde as sementes do impossível brotam." RF

Liberdade de expressão, um direito inalienável?

1716402488376.jpg

Num mundo ideal, a liberdade de expressão seria um direito inalienável, tão vasto quanto o céu e tão profundo quanto o mar. No entanto, vivemos num tecido social complexo onde as palavras têm o poder de construir e destruir, de curar e ferir. A liberdade absoluta, portanto, é uma utopia.

A liberdade de expressão é essencial, sim, mas não pode ser um escudo para a intolerância, nem uma lança contra a dignidade alheia. Onde traçamos a linha? Será que a liberdade de um termina onde começa a do outro, ou será que há um espaço cinzento onde ambas se sobrepõem e se confundem?

Questionamos, então, não a necessidade de limites, mas a natureza deles. Devem ser flexíveis como o junco que se dobra ao vento, ou firmes como o carvalho que resiste à tempestade? E quem os define? A lei, a moral, a ética?

A verdade é que a liberdade sem limites é anarquia, mas a restrição excessiva é tirania. Procuramos o equilíbrio, um ponto de harmonia onde a expressão individual não seja cerceada, mas também não se torne uma arma. É um debate constante, um desafio perpétuo à nossa capacidade de conviver e prosperar como sociedade.

Amor Inquebrantável

177485726_507499790406950_4336342429913510223_n.jp

Na alvorada da tua vida, eu já amava cada traço teu, cada sorriso incipiente, cada choro que rompia o silêncio da noite. Prometi, sob a luz das estrelas, ser o farol que te guia, o escudo que te protege, o porto seguro onde sempre podes ancorar.

Cresceste, qual flor despontando sob o sol do meu orgulho. Em cada passo teu, vi a promessa de um futuro risonho, e em cada queda, estendi minha mão para te erguer. No teu olhar, vi o reflexo dos meus sonhos e a esperança de dias melhores.

Agora, caminhas por trilhos que não posso percorrer, mas o meu amor segue-te como uma sombra fiel. Nas alegrias, celebro contigo; nas tristezas, sou o ombro onde podes repousar. E mesmo quando a cortina da vida se fechar para mim, estarei contigo, sussurrando canções de embalar, contando histórias de coragem, lembrando-te sempre do amor inquebrantável do teu pai.

Porque o amor verdadeiro não conhece barreiras, não teme a distância, nem se curva perante o tempo. Ele é eterno como as estrelas, profundo como o oceano, e mesmo na ausência, ele perdura, um sopro de vida que nunca se extingue.

Assim, minha querida filha, leva contigo este amor, este compromisso que nunca se abala. Que ele seja a tua bússola, o teu consolo, o teu eterno companheiro. E lembra-te, em cada passo, em cada respirar, que o amor do teu pai é um elo que nem mesmo a morte pode desfazer.