Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rui Ferreira Autor

"A imaginação é o solo fértil onde as sementes do impossível brotam." RF

Rui Ferreira Autor

"A imaginação é o solo fértil onde as sementes do impossível brotam." RF

Texto do dia VII

OIG4.jfif

Nesta vida onde os espelhos se tornaram mais consultados que os livros, a sociedade desfila numa passarela de efemeridades. A profundidade é ofuscada pelo brilho superficial de um "Gosto", e a sabedoria antiga é trocada por tutoriais de cinco minutos. 
Nesta feira de vaidades, o conteúdo genuíno é substituído por filtros que distorcem a realidade, criando um palco onde todos são atores, mas poucos reconhecem o teatro. Valoriza-se o que é volátil, e a procura incessante pelo extraordinário torna o ordinário desvalorizado. 
Tenta-se normalizar o anormal, aplaudindo-se o extravagante enquanto o essencial é relegado ao esquecimento. 
A sociedade, embriagada pelo consumo desenfreado, esquece que as coisas mais valiosas não têm etiqueta de preço e que, no fim, o que realmente importa não pode ser comprado ou vendido. 
 
Talvez este texto lhe interesse:
 
Imagem gerada por IA 

O valor das coisas banais

441958873_8345014722194625_5065745066519708440_n.j

Num mundo onde o extraordinário é frequentemente celebrado, as coisas banais são como o silêncio entre as notas de uma música, essencial mas muitas vezes não notado.

As coisas banais são as raízes da nossa vida em sociedade. Elas são o “bom dia” ao vizinho, o agradecimento ao motorista do autocarro, ou até mesmo o ato de segurar a porta para alguém. Estes atos podem parecer insignificantes, mas são eles que mantêm a cortesia e a gentileza em circulação, nutrindo a empatia e a conexão humana.
Ao valorizar o banal, reconhecemos que cada gesto, por menor que seja, tem o poder de transformar o dia de alguém e, por extensão, a sociedade em que vivemos.

O valor das ações diárias

441086380_8304854149544016_4537548103479110246_n (

Nas pequenas ações diárias, encontramos o verdadeiro valor da vida.

Não subestimes a força do hábito diário, pois é ele que molda a nossa existência. Um sorriso oferecido, uma palavra gentil, um gesto de ajuda - cada um desses atos pode parecer insignificante, mas juntos, são as notas que unem e dão harmonia à humanidade.
Lembra-te, é no ordinário que o extraordinário toma forma. Portanto, cultiva as pequenas ações; elas são as sementes das grandes conquistas.