Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rui Ferreira Autor

"A imaginação é o solo fértil onde as sementes do impossível brotam." RF

Rui Ferreira Autor

"A imaginação é o solo fértil onde as sementes do impossível brotam." RF

Os pequenos prazeres

443714077_8370290796333684_7723970177135132701_n.j

Os pequenos prazeres não exigem grandes gestos ou proclamações; são simples, quase efémeros, mas essenciais.
Um sorriso espontâneo, uma chávena de café que aquece as mãos numa manhã fria, o som da chuva a bater suavemente na janela, ou até mesmo o silêncio reconfortante que acompanha um bom livro.
Eles são o antídoto para o caos, o refúgio onde encontramos paz. Os pequenos prazeres ajudam-nos a recalibrar, a redefinir, a respirar.
Celebra-os. Permite-te ser transportado por eles, ainda que seja apenas por um instante. Pois é nesse instante que podes encontrar a transcendência, um escape, uma ponte para um estado de ser onde as dificuldades do quotidiano se desvanecem, deixando espaço apenas para a gratidão pela simplicidade da vida.

#carpediem #viver #viveavida #pequenosprazeres #gestos #proclamação #simplicidade #ruiferreiraautor #essencial #sorriso #cafe #maos #frio #chuvas #silencio #livro #paz #escape #quotidiano #gratidão #textododia #textos #escrever #escrita #escritos #celebrar #bomdia

Sinto-te falta



As ausências a que me obrigas

Marcadas por esse teu triste olhar

São sombras envergonhadas de intrigas

A que me sujeito sem me preocupar

 

Refugio-me nesse teu olhar penetrante

Escondo-me em mim da tua presença

Perco-me neste caminho errante

Que percorro em constante descrença

 

A felicidade é uma quimera

É efémero sentimento cantado

Por poetas desta e de outra era

Em canção e em verso rimado

 

O amor, esse sentimento tão nobre

Brota de qualquer coração enamorado

Seja rico ou seja pobre

É assim a vida de um apaixonado

 

Nas ausências insisto em ficar

Ao teu lado ainda que te perca

Perdido na imensidão do teu olhar

Refugiado no coração que se aperta

 

Encontro-te finalmente entre a imensidão

Dos meus sonhos e pesadelos urdidos

Tornas-te o meu rochedo, o meu bastião

Senhora de destinos incompreendidos

 

Rendo-me nesta destemida covardia

De declarar este amor que me assalta

Que cresce nesta alma deserta, bravia

E ainda que te tenha, sinto-te falta.

 

#ruiferreiraautor
#autoresportugueses
#autoresnacionais